Golpe do voto. Lideranças "picaretas" estão tentando aplicar golpe em candidatos de primeira viagem

Já mandei recado para quatro pré-candidatos a deputado estadual.

Tem um grupo de lideranças criminosas e ultrapassadas, que não são mais benvindos em nenhuma campanha eleitoral, que está se aproximando de candidatos "baludos, cheio da grana".

O golpe é assim: O líder da quadrilha faz o contato com o pré-candidato ou algum membro da sua coordenação de campanha, marca uma conversa, viaja ao município da vítima, diz que tem um grupo "top" de lideranças, que juntas lhe darão entre 3 e 5 mil votos em Natal, cobram salários mensais para todos do grupo (desde já), cargos pós-eleição e para o chefe da quadrilha, compromisso futuro.



Tem um prefeito do litoral potiguar, pré-candidato a deputado estadual, que caiu no golpe e depois de alertado, desfez o negócio.

A vítima da vez é um médico rico que está pra lá de acelerado na campanha para a assembleia legislativa. Esse mesmo grupo de picaretas está rodeando e já  comemoram o crime. 

Eu mandei o recado e junto foi um relatório contendo as diversas vítimas desse grupo e qual votação eles prometeram e não entregaram, em diversas campanhas passadas.

Tem um que já foi preso, responde por mais de uma dezena de crimes - de todo tipo; 

Tem outro que é famoso por se apossar de bens que não lhe pertencem;

Um deles, o mais perigoso, em 2020, prometeu 200 votos no seu bairro a sua vítima e lhe presenteou com 30 votos. Dizem, que depois de feita a conta do investimento do candidato, foi o voto mais caro da história de Natal. As barganhas eram assim: dois cargos na Câmara, carro alugado, combustível a vontade, ajuda semanal nos 45 dias de campanha pra resolver as "paradas" dos eleitores, etc. 

Em tempo: só aviso uma vez. O prefeito do litoral parece que recebeu o recado, checou e pulou fora.

Em tempo 2: o médico milionário parece que vai pagar para ver. Digo mais nada. Se me ligarem, digo como é o golpe e passo a ficha corrida dos criminosos do voto falso.

Em tempo 3: minha vó me disse um dia: "todo dia saem de casa um otário e um malandro", nesse caso é assim: "toda eleição tem candidato desavisado e lideranças picaretas espreitando pra golpear".

Em tempo 4: um dos "picaretas do voto" disse um dia no corredor da Câmara Municipal: "candidato rico é pra se lascar. Se eu puder, boto pra torar. Quando eles ganham dão as costas, Eu boto pra f....."!

Postar um comentário

0 Comentários